Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2013

Bike Test - Scott Scale 920, por David Rosa

Aqui fica um bike test realizado pelo David Rosa à Scott Scale 920, uma bicicleta com uma geometria similar à com que irá competir este ano - a Scott Scale 900 RC - mas com uma escolha de componentes e rodas que lhe dão uma relação custo benefício mais interessante. Vejam lá o que o David tem a dizer acerca desta bicicleta:

 

A Scott Scale 920 é um modelo que apesar de não ser um topo de gama parece-me procurar um compromisso entre o peso, preço e funcionalidade das suas irmãs mais avançadas, e com sucesso. O peso e conforto do quadro não é o mesmo que o da Scale 900 RC - estamos a falar dum quadro que, em tamanho 29 pesa apenas 950gr e em termos de conforto em secções mais rochosas (por exemplo), se nota uma suavidade superior. Este é um modelo a ter em conta para quem procura uma roda 29 já com grandes prestações sem investir numa topo de gama. 

 

A bike vem equipada com periféricos (espigão de selim, avanço e guiador) da Syncros, marca da Scott. Notei que aqui não haviam falhas em termos de rigidez, cumprem a sua função sem problema. No entanto, quando à posição de condução, eu prefiro um avanço mais longo e negativo, e o guiador com menos elevação. Mas isto é algo que vem das minhas preferências de condução, bastante mais agressivas e que não são muito habituais… até pela minha altura.

 

 

Quanto à transmissão, é feito um misto XT/SLX que funciona impecavelmente. O desviador XT já conta com a “patilha” de incremento de tensão de corrente, que quando accionada faz com que a corrente não bata na escora e assim temos uma bike super silenciosa nos trilhos. Foi a primeira vez que usei um desviador assim e gostei bastante. A pedaleira XT com 3 pratos, 22/32/42, dá um rácio de mudanças que numa 29 nos dá andamentos muito diversificados (numa 29, a desmultiplicação torna-se bem superior do que numa 26, tendo um 42 o andamento “real” mais próximo de um 46). No meu caso, no entanto, não usaria 3 pratos, mas sim 2 um pouco mais “juntos”, como um 26/38, isto porque pelo menos em XCO não se chega a esgotar um prato 38 e o 26 é o suficiente para passar as subidas mais duras (com uma cassete 11/36). Outra vantagem para mim com uma pedaleira dupla é a diminuição do Q-factor (distância de um crank ao outro), pois torna a pedalada mais eficiente e para alguém com as ancas estreitas como as minhas é algo recomendado. Os restantes componentes (manípulos, cassete e desviador da frente) também são SLX e daqui resulta uma transmissão que a nível de fiabilidade não deve nada às de mais alta gama.

 

 

No capítulo da travagem tive uma agradável surpresa, os SLX são realmente um travão excelente. Já conhecia a potência dos XTR e XT, os SLX não ficam muito atrás, e têm uma fiabilidade difícil de encontrar noutras marcas. Tenho sérios problemas quando ouço um travão a roçar no disco, pois é sinónimo de que estou a produzir potência que não está a ser aproveitada, não aconteceu uma única vez com estes travões. A 920 veio equipada com discos 180/160, pelo que se quiserem tirar algum peso é só por um disco de 160mm na frente e tirar o adaptador de 180, não se perde muita potência e poupa-se algum peso.

 

A rodas Syncros com os cubos XR 2.5 são fiáveis e não apresentaram qualquer problema. Claro que não são hiper-leves, mas neste segmento de preço e com este quadro e restante material já apresentado nem podiam ser, mas têm um rolar simplesmente fantástico que não impedem qualquer andamento em trilho mais agressivos, que julgo ser um dos pontos fortes desta bike. Os pneus Rocket Ron Evo 2.1 têm uma aderência lateral muito boa (das melhores até) e baixo peso (usei este pneu exaustivamente na versão 2.25 em 2009 à frente), mas sua resistência ao furo é algo limitada. Também expûs os pneus a um tratamento de alto calibre nos trilhos rochosos de pia de urso mas, ainda assim, numa bike tão fiável, acho que é um melhoramento a fazer.

 

Por último, a suspensão Fox Float 32 com bloqueio em 3 posições e eixo de 15mm revelou-se à altura. Em termos de rigidez e suavidade de funcionamento esteve impecável. Quanto às afinações (rebound e ar positivo) são fáceis de fazer e nítidas no caso do rebound. Esta suspensão tem 3 modos de bloqueio: todo fechado (completamente bloqueada), trail (funciona de forma mais lenta e menos sensível) e aberto (curso normal). A diferença entre o trail e aberto, pelo menos com a pressão que uso, não é da noite para o dia. Embora se note alguma diferença na velocidade de funcionamento (incluindo recuperação) e bombear. Na prática usei este modo em subidas mais acidentadas, em que queria que a frente da bicicleta fosse a “ler” o terreno e em zonas mais rápidas (estradões planos por exemplo) onde queria ter algum conforto mas que não perdesse rendimento.

 

Em suma, uma bicicleta construída por um quadro em carbono HMF desenhado perfeitamente para uma geometria 29" com um mix entre compontentes fiáveis e de excelência no grupo shimano e suspensão FOX que oferecem grande valor ao adepto de XC ou BTT com um budget pré-definido."




Publicado por Eupedalo às 11:18
link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

SUBSCREVER FEEDS

ACERCA

Este é o blog da MoveFree. Um blog dedicado a todas as pessoas que pedalam, dos profissionais aos amadores, dos que competem em cima de uma bicicleta aos que gostam de dar umas pedaladas com a família e amigos. Um blog inclusivo e que se compromete a partilhar noticías e informações dedicadas ao ciclismo, à natureza e sustentabilidade.
Eu Pedalo on Facebook

TAGS

2011

24h

24h of exposure

aldeias sos

amigos do pedal

ana galvão

andré egreja

apoio movefree

atleta movefree

audace

avalanche

bicicletas

bike performance center

bikesharing

bmc

brasil ride

bruno espinha

btt

c.o.o.

campanha

campanhas

campeão europeu

cape epic

ciclovias

codigo da estrada

competição

criança

david rosa

dolce vita tejo

downhill

ecologia

enduro series

equipas

estrada

eventos

festival bike

filomena gomes

fórum sintra

forum sintra

freestyle

iceland luso expedition

inovação

itinerários da memória

joana marques

joão barbosa

lisboa

lousã

mafra

mafra btt

malandros btt

maratona de sintra

maratonas

master class

metralhas btt

moda

motovedras

movefree

movefree factory team

movefree/shimano

movefree_

natal movefree

nuno machado

oestebike

oribtt

pardal

passatempo

passeio movefree

passeio nocturno

passeios

passeios de loja

passeios nocturnos

patagonia luso expedition

paulo guerra dos santos

pedro dias

pedro duque

pedro maia

produtos

promoções

raid btt

ribamar

ricardo mendes

rockhopper sl

são martinho

saúde

scott

scott scale 900 rc

segurança

sintra

site movefree

solidariedade

specialized

stumpjumper ht

tapada nacional de mafra

test bike

torres vedras

transalp

treinos

triatlo

tutorial

urbano

todas as tags

ARQUIVOS

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

LINKS